PSOL apoia professores em greve e critica postura de Rui Costa

 

Na quinta-feira, 6, a tarde foi realizada na Secretaria de Educação uma reunião com os representantes das 4 Universidades Estaduais da Bahia, UEFS, UNEB, UESB, UFSB, que fazem parte da ADUNEB – Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Bahia – a Secretaria de Educação, SERIN – Secretaria de Assistir Institucionais – e a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, tem entre os seus representantes o Deputado Estadual do PSOL Hilton Coelho para negociar as pautas e reivindicações feitas pelos docentes.

A ocupação

A partir dos anos de 2017 e 2018 o governador Rui Costa vem gradativamente diminuindo o valor do orçamento destinado as Universidades Estaduais. Essa quantia chega a R$ 110 milhões a menos que deveria ser aplicado nas universidades. Por esse motivo a greve dos professores já dura dois meses, tendo como consequência o corte de salário por parte do governador.

Os professores estavam à espera de um diálogo com a Secretaria de Educação do Estado. Todos estão acampados sob chuva, sol e truculência dos policiais que cumpre ordens de Rui Costa. Na terça-feira 4, os educadores fizeram uma plenária no CAB – Centro Administrativo da Bahia -, para entregar ao governador e protocolar sua lista de reivindicação, foi a terceira contraproposta entregue para negociar uma pauta que já tinha sido apresentamos há mais de 4 anos”.

Ao chegar no CAB, os docentes forram impedidos de protocolar sua relação de exigências. A frente da secretaria estava completamente cercada com grades que o governador mandou colocar para dificultar o acesso dos mestres, e dentro da Secretaria de Educação estava o batalhão da polícia de choque fortemente armado os esperando.

Principais reivindicações

A mesa de diálogo tão aguardada pelos docentes começou 13h, entre a Associação dos professores e os integrantes do governo. O objetivo é chegar em um acordo para que a greve juntamente com a ocupação tenha um fim e as demandas que o grupo trouxe sejam aceitas.

As principais reivindicações negociadas são as perdas salariais dos últimos 4 anos e durante esse período valor salarial está congelado, progressões nas carreiras, respeito aos direitos trabalhistas, aumento do orçamento das universidades que é insuficiente e ainda é contingenciando pelo o governo.

O professor e Presidente Estadual do Psol Fábio Nogueira, esteve no CAB para dar apoio aos colegas de classe e destacou “Como professor e Presidente Estadual do Psol eu presto solidariedade aos professores que de forma muito combativa mantem a greve apesar das pressões do governador Rui Costa, que não negocia com os professores e estudantes”.

Fábio ainda destaca as questões dos estudantes que precisam ser resolvidas “temos que defender as exigências dos alunos sobre a assistência estudantil, que atualmente está abandonada nas Universidades Estaduais da Bahia e prejudica especialmente os estudantes mais pobres que tem acesso à universidade”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *