Empresa cancela oferta de emprego para Geddel e ele continuará preso

BRASÍLIA, DF, 05.10.2016: TEMER-DF - O ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, durante cerimônia de comemoração do Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa realizado no Palácio do Planalto, em Brasília (DF), nesta quarta-feira (5). Presença do presidente Michel Temer, do ministro Mendonça Filho (Educação) e do presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos. Michel Temer anunciou abertura de uma linha de crédito de R$ 30 bilhões com taxa de juros reduzida para estimular o empreendedorismo e ajudar micro e pequenas empresas. Credito: Pedro Ladeira/Folhapress

A distribuidora de combustíveis Soll, de Salvador, informou ao Supremo Tribunal Federal que cancelou a oferta de emprego a Geddel Vieira Lima. O trabalho regular é condição necessária para que ele saia da cadeia durante o dia, no semiaberto.

A empresa alegou ter problemas financeiros para efetuar a contratação para o cargo de assessor da diretoria administrativa.

“Devido às dificuldades financeiras que vimos passando ao longo do tempo, e como é de conhecimento público que o mercado de distribuição de combustíveis fóssil está sendo aos poucos substituído por fontes de energia renováveis, foi decidido colocar nossa
empresa à venda, o que acarretou a revisão de nossa política de investimentos”, diz o documento da Soll.

“Sendo assim, encerramos nossas contratações, e estamos cancelando esta vaga que encontrava-se disponível. Firmo a presente em duas vias de igual teor e forma, para que surtam efeitos legais.”

Preso por causa do bunker em Salvador com R$ 51 milhões em propina, o ex-ministro foi condenado a 14 anos. Como está detido desde julho de 2017, já cumpriu tempo equivalente a 1/6 da pena para sair do regime fechado. A PGR concordou com a progressão do regime, mas Edson Fachin precisa autorizar ainda.

O Antagonista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *