Bolsonaro diz que falta humildade em Mandetta, mas garante que ainda não pretende demiti-lo

O presidente Jair Bolsonaro confessou, nesta quinta-feira (2), em entrevista à rádio Jovem Pam, que a relação entre ele o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, não está boa “há algum tempo”. Bolsonaro criticou a condução de Mandetta no comabte à pandemia do coronavírus e afirmou que falta humildade para o titular da pasta.

Bolsonaro contou: “O Mandetta sabe que a gente tá se bicando há algum tempo. Eu não pretendo demiti-lo em meio à guerra. Ele sabe que, em algum momento, ele extrapolou. Ele montou um ministério com a sua vontade. (…) No meio do combate, nenhuma ameaça ao Mandetta não. Se ele se sair bem, sem problema nenhum. Agora, nenhum ministro é indemissível. Em alguns momentos, ele teria que ouvir mais o presidente da República. Ele cuida da saúde, o Guedes cuida da economia, e eu tô no meio dos dois. As duas áreas são importantes. O Mandetta quer fazer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo, mas tá faltando um pouco mais de humildade”.

Ao ser questionado sobre quais momentos Mandetta deveria ter o ouvido mais, Bolsonaro disse que “alguns profissionais” do Ministério da Saúde ajudaram a instalar histeria e pânico neste momento de pandemia. Ele disse: “Eu acho que tudo o que eu já falei, isolamento vertical, horizontal, a questão do emprego, poderia já estar tratando desse assunto, até porque o presidente disse que não pode ser abandonado. O que aconteceu por parte de uns profissionais do ministério dele, aquela histeria, aquele clima de pânico, que aconteceu há uns 40 dias. Agora, está no momento de colocar o pé no chão. Se destruir o vírus e destruir os empregos, vamos destruir o Brasil”.

Após críticas, Bolsonaro desejou boa sorte ao ministro. “Boa sorte ao Mandetta, espero que ele consiga nessa missão, com um pouco mais de humildade, e espero que, nesse mar revolto, a gente consiga dizer que fizemos o bom combate”, falou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *