Coronavírus: sinais de celulares ajudam a Prefeitura do Rio a localizar locais com aglomeração de pessoas

secretário municipal de Ordem Pública do Rio, Gutemberg Fonseca, anunciou, nesta segunda-feira, o uso de uma tecnologia que consegue localizar aglomerações de pessoas, o que está proibido durante o período de combate ao coronavírus. Há uma leitura de sinais de celulares – inclusive a aproximação de um aparelho com o outro. Telefones de turistas também são identificados e indicam de onde eles são. Se for constatada a aglomeração, equipes da Guarda Municipal são enviadas para o local. As informações são do “Bom Dia Rio”.

A tecnologia funciona graças a um convênio da prefeitura com uma operadora de telefonia. Antenas instaladas em diversos pontos da cidade localizam onde estão os aparelhos e repassam esse dado para um painel. É possível localizar até mesmo quem está em casa. Durante todo o processo, os dados dos usuários permanecerão anônimos.

– Uma das informações que recebemos é do roaming (envio e recebimento de dados por meio do celular). Elas caem numa plataforma e onde começamos a qualificá-la – disse Gutemberg.

Os dados dessa plataforma passam também por um cruzamento com denúncias recebidas pelo Disk Aglomeração (1746). O número, de acordo com o secretário, recebe entre 1 mil e 1,2 mil chamadas por dia.

– As informações vão chegando e vamos atuando – informou o secretário, destacando que, desde o início do isolamento social até este domingo, foram fechados 1.217 comércios que descumpriram a determinação de não abrirem.

Gutemberg disse ainda que o Disk Aglomeração ajudará na fiscalização ao escalonamento de horários determinado por decreto pela prefeitura. O comércio deve passar a funcionar depois das 9h; e indústrias, antes das 6h. Um novo decreto, a ser publicado nesta terça, trará mais detalhes do que é considerado comércio e do que é considerado indústria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *